• Comunicação ILPS

LUÍSA HOMENAGEADA COM NOME DE INSETO DESCRITO RECENTEMENTE

Nossa querida Luísa foi homenageada por sua amiga Paula Malaquias Souto, que deu a essa nova espécie de Thraulodes o nome "luisae".

Veja o resumo da pesquisa aqui.


Abaixo, trechos do e-mail que recebemos da Paula:


"...eu estudei na Biologia da UFRJ na mesma época que a Luísa. Eu entrei uma turma antes da dela e dei trote na turma dela. Fui monitora da turma dela na disciplina Zoologia III e foi quando fomos para Picinguaba juntas e nossa amizade, bem menos profunda do que eu gostaria e interceptada pouco tempo depois, começou a acontecer nessa viagem. Eu estive na casa de vocês na comemoração do aniversário dela e despedida para sua viagem para os EUA. Sinto muita a falta da Luísa e achei que o mínimo que eu poderia fazer é eternizar o nome dela em uma espécie nova que eu descobrisse. Eu trabalho com um inseto da ordem Ephemeroptera (do grego “asas efêmeras”). As siruruias, como são chamadas em alguns lugares do Brasil, possuem uma vida curta na fase adulta, por isso chamadas também de efêmeras. Assim nasceu para a ciência a espécie Thraulodes luisae, coletada no alto da Serra da Bocaina, em São Paulo. Para algumas pessoas, as siruruias são fadas que dançam no céu como se fosse a sua última dança. Eu prefiro pensar que a Luísa também é."


Querida Paula, obrigado por tão linda homenagem. Também achamos que a Luísa é uma fada.


Luísa também foi homenageada com nome de planta descrita recentemente, pelos pesquisadores Luana Silva Braucks Calazans, Nerivaldo Gomes Antas e a Profa. Dra. Cassia Mônica Sakuragui, do Instituto de Biologia da UFRJ.

Inspirar e apoiar jovens conservacionistas a trabalhar na proteção do planeta onde moramos, o único lugar onde podemos viver.

© 2019 Instituto Luisa Pinho Sartori